sábado, 16 de setembro de 2017

3 Anos de Blog Fotografei ♥

Finalmente chegou o grande dia e posso confessar que estava muito ansioso. Hoje, dia 16/09 o Fotografei está comemorando 3 anos! yay 
1095 dia criando conteúdo, fotografando e escrevendo pro blog é um pouco complicado criar um post comemorativo, sem sentir aquela nostalgia ou conforto no coração. Desde de 2014 quando criei o blog, sabia que tinha feito a coisa certa. O reconhecimento e agradecimento das outras pessoas sempre foram as minhas maiores recompensas, por todo o tempo de trabalho que me dedico ao blog. Esse foi mais um ano incrível que eu quero celebra-lo.
Esse último ano fez parte de um dos momentos mais felizes da minha vida, rodeado de pessoas maravilhosas, grandes amizades e diversas conquistas que já compartilhei com vocês. A cada dia eu ganho um novo presente, daqueles que o dinheiro não compra, quem veem em forma de comentários, e-mails de agradecimento e mensagens de motivação para nunca desistir daquilo que eu realmente amo. Escritos de forma simples, mas enviados com uma grande intenção. Já disse e repito, sou imensamente grato por todo o carinho e reconhecimento que recebo das pessoas que visitam meu blog e deixam meu dia mais feliz com mensagens e cartas.
Não me importa se você acompanha o blog a muitos anos, muitos meses ou apenas alguns dias, mas sim se você gosta do conteúdo e de alguma forma ele te faz se sentir especial, essa é a minha ideia.
Me lembro bem da primeira postagem escrevi aqui no blog, ela falava sobre minha paixão pela fotografia, algo que mantenho com orgulho até hoje. De certa forma ela é nítida na minha cabeça até hoje, por ter sido a grande responsável por tudo isso. Pois seu não tivesse a ideia de criar um blog, para falar de fotografia e recebido apoio em cima disso, com certeza não estaria aqui até hoje. Se um dia pudesse ir ao passado e falar para o Lukas daquela época que ele chegaria até aqui e viveria essas experiências, ele não iria acreditar.
Muito obrigado 
Portanto quero agradecer cada um de vocês, sintam-se abraçados virtualmente por mim!
Desde pequeno minha mãe sempre me disse para ser grato. Agradecer aos presentes que eu ganhava, dizer muito obrigado quando me ofereciam algo e acima disso, agradecer por tudo que eu tinha. E eu sou grato principalmente aos meu leitores, pessoas que ganham um reconhecimento maior, pois me fazem sentir especial. Sempre bloguei por amor. Mas para estar sempre seguindo em frente, tive o apoio de muita gente. Pessoas que não me deixaram desistir e muito menos esquecer minhas paixões, que sempre me apoiaram e incentivaram a nunca abrir mão daquilo que eu realmente amo, sem importar as consequências.
Portanto eu sou grato a vocês que fizerem do blog um cantinho especial e continuarem acessando-o, compartilham os posts e divulgam nossas ideias, ajudando-nos a crescer cada vez mais, nos acompanham através das outras redes sociais e se mostram sensíveis e amigos quando precisamos ou passamos por momentos difíceis. Por todas as mensagens e feedbacks, por ficarem felizes e comemorarem com a gente cada conquista que compartilhamos e alcançamos. Obrigado por entenderem o amor e carinho que cada foto ou post tem. Obrigado por serem leitores do blog, simplesmente obrigado! 
Feliz aniversário Fotografei 
Gostaria de que nesta data tão especial, pudesse reunir os leitores do blog para comemorar, mas como a distância não permite, vamos comemorar virtualmente!
Feliz Aniversário ao blog e quero que vocês também se sintam parabenizados, pois são os grandes responsáveis por tudo isso e por, me incentivarem a continuar seguindo em frente a cada dia, compartilhando um pouquinho do meu mundo e das minhas experiências. Obrigado por tudo seus lindos! 
Um abraço, até logo!  

terça-feira, 12 de setembro de 2017

O terceiro ano do Fotografei em números

Falta  menos de uma semana para o Fotografei completar três anos e até agora não caiu minha ficha.  Lembro de como eu estava com o mesmo tipo de empolgação a um ano atrás, criando posts comemorativos pro segundo aniversário do blog. E agora se passaram mais 365 dias! Impossível não ficar feliz com uma notícia dessas, pois 2017 tem se mostrado um ano de muitas conquistas e alegrias.
Sempre gostei muito de compartilhar minhas conquistas com vocês, sejam elas pessoais ou profissionais, mantenho esse costume desde que criei o blog e hoje decidi fazer algo parecido, mas de um jeito bem especial. Dei uma pesquisada pelas redes sociais e coletei algumas informações, dados relevantes e curiosos sobre o terceiro ano de vida do Fotografei, da uma olhada.
  Click! 117 foto no Instagram
Apesar de uma das minhas meta de final de ano sobre postar uma foto por dia na rede social não ter dado certo, sempre compartilho um pouquinho do meu dia-a-dia por lá, e nesse último ano foram 117 fotos até agora! Sim, 117 click de muito amor envolvido, dá para acreditar nisso? É uma delícia abrir o instagram e olhar pro feed com várias fotos, cada uma com um significado especial e pode ter certeza que eu fico feliz da vida em ver vocês curtindo, comentando e dando dicas de como eu posso melhorar. Obrigado mesmo!
 79 Postagens no blog
Realmente esse não é um número muito grande, mas garanto que para criar todo esse conteúdo, precisei de muita dedicação e tempo. Antes de criar o blog, cultivava aquele pensamento de que ser blogueiro era apenas escrever em um blog e pronto, a mágica acontecia. Então, ter criado o Fotografei foi algo que me ajudou muito a entender tudo isso, todo o processo criativo por trás dele: escrever, corrigir, reescrever, fotografar, editar, publicar, divulgar e enfim, mas um monte de coisas. Porém, todo esse conhecimento me deixou ainda mais motivado a continuar. Foram 79 postagens, feitas com uma dedicação enorme, incluindo Resenhas de Livros, Indicações de Filmes, Dicas de Fotografia e muito mais.
 1,6 K no Instagram e 730 likes na Fã Page
Números nunca foram muito importantes para mim, mas confesso que eles tem sim o seu valor, por tanto sempre comemoro seu crescimento. Crescimento que do último ano para cá, tem sido muito bom. Atualmente temos mais de 730 likes na nossa página do Facebook (em relação ao ano passado, eram 376) e mais de 1600 seguidores no insta (800 em relação ao ano passado). Gosto de chama-las de pequenas conquistas diárias, pois são números pequenos mas com um significado grande e que crescem cada dia mais, portanto muito obrigado se você também faz parte deles!
 4 novas parcerias com Editoras de Livros
Receber o apoio de outras pessoas e principalmente de empresas, foi uma das coisas mais gratificantes desse ano. O Fotografei se tornou oficial parceiro das Editoras Sinna, Autografia e Rádio Londres, mas também fizemos uma parceria com a Editora Chiado, lá de Portugal. Gostaria de agradecer a confiança de todas essas editoras, obrigado por confiarem no meu trabalho e no blog. Ah, e ao todo já recebemos mais de 12 livros!
 Comprinhas: Finalmente uma câmera profissional
Esse foi com certeza um dos passos mais importantes e mais responsáveis pela minha evolução, principalmente profissional. Uma das minhas metas com o blog sempre foi produzir imagens autorais, algo que eu já fazia com a minha câmera antiga, mas com o passar do tempo essa vontade de se profissionalizar aumentou cada vez mais. Em novembro do ano passado eu finalmente consegui realizar esse sonho e comprei minha primeira câmera profissional, a Canon Rebel EOS T5 (que eu uso e amo muito até hoje!).
 218  e 1095 dias
Yay! Esse ano nós completamos 218 seguidores aqui no blog, algo que eu realmente me deixou muito feliz, afinal são 218 corações acompanhando meu trabalho, compartilhando dicas e divulgando idéias. Por tanto, sou imensamente grato a vocês, que fizeram esse número ir crescendo as poucos durante os nossos 1095 dias de vida do bloguinho. Thanks seus lindos.
Hoje faltam exatamente 4 dias para grande comemoração, eu to muito animado! Estou preparando um post super especial para compartilhar com vocês no dia 16 <3 Enquanto isso, vamos festejas nossas conquistas desses quase três anos! haha Aproveita e me conta aqui nos comentário, algo que você é grato.
Um abraço, até logo!  

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Minimalism | A Documentary About The Important Things

O Minimalismo é algo que veio se popularizando bastante de uns tempos para cá, seja no jeito de levar a vida, de se vestir ou até mesmo de fotografar.
O estilo que consiste em se livrar de tudo aquilo que é considerado excesso, ganhou recentemente, um cantinho muito especial na Netflix. Minimalismo: O documentário sobre coisas importantes, fez um grande sucesso principalmente por se tratar de temas comuns do nosso dia-a-dia e responder perguntas frequentes de pessoas que querem ser minimalistas, mas não sabem como.
A abordagem do tema com depoimentos de pessoas normais e especialistas, cria um paralelo bem divertido. Construído com base nos relatos de vida de Joshua Fields e Ryan Nicodemus, dois melhores amigos autores do livro Minimalism: Live a meaningful life (Minimalismo: Viva uma vida significativa), são os grandes propagadores da idéia de se viver uma vida com menos coisas e mais felicidade.
Quando falamos em Minimalismo, não queremos dizer para você viver sem nada. Você pode gostar de moda, coleções, compras e variedades, mas de forma equilibrada. Sem precisar abrir mão! Por tanto, separei três temas abordados, que com certeza te farão querer assistir ao documentário. 
// Armário Capsula
Você com certeza já deve ter ouvido nessa expressão, mas para quem não está familiarizado, veja essa definição publicada pelo site Trocaria:
"Armário-cápsula é uma técnica que consiste em escolher uma quantidade limitada de peças para vestir durante um tempo determinado, sem comprar nada novo, apenas criando combinações com as peças existentes."
O documentário mostra formas bem bacanas de como montar o seu, métodos de dividir o tempo que irá ficar com aquelas roupas e a forma ideal de se organizar. Uma das principais dicas é conhecer bem seu estilo, definir uma paleta de cores e escolher estampas lisas, que possuem um valor mais acessível e são super fáceis de combinar. Gerando assim ótimos benefícios, como o melhor aproveitamento das peças que você já tem, economia de beleza e valorização da sua beleza natural.
Fonte: Artigo.
// Não seja consumista
Se comprar é algo que te proporciona felicidade, saiba que Joshua e Ryan pensam diferente disso, para eles isso é algo tão fútil que quase nem existe. Viver em cidades grandes, com vitrines e enormes placas de desconto parece algo tentador, mas quando você realmente parar para ver, chegará a conclusão de que aquilo é totalmente desnecessário. 
De acordo com eles, há coisas muito mais importantes que podem lhe proporcionar felicidade.
Essa parte do documentário em si me lembrou o livro da Karol Pinheiro, onde ela fala que as coisas mais legais do mundo não são coisas, uma ótima indicação literária para vocês!
//O minimalismo não acontece de um dia para o outro
Caso essa possibilidade já tenha sido cogitada na sua cabeça, saiba que não é fácil de desapegar de tudo. Por exemplo, você deve ter uma coleção de livros com algum valor sentimental ou presentes de pessoas queridas, certo? Então, tenha o seguinte pensamento em mente caso tome a iniciativa: 
Se tornar minimalista é encontrar em pequenas quantidades, uma grande felicidade. 
Se você acha que essas coisas tem apego emocional, que de certa forma te deixaram mal por se desfazer delas, você não precisa. Assim como explicam no documentário.
.
Por ser um assunto digamos que novo para muita gente, ainda é cedo para se de ter uma decisão se devemos ou não levar uma vida minimalista, isso vai de você. Mas vou adiantar que vale a pena dar o play e assistir, pois muitas dicas mencionadas lá, podem sim ser úteis para todo tipo de pessoa.
Ta esperando o que? vai lá na Netflix assistir, depois me conta o que achou.
Um abraço, até logo!  

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Resenha: Stoner | John Williams

Esse ano o Fotografei se tornou oficialmente parceiro da Editora Rádio Londres e o primeiro exemplar que recebi deles foi Stoner, escrito pelo autor John Williams.
Uma obra que eu admirei muito, tanto pela estética quanto pelo conteúdo. Apesar de não conhecer muito sobre o trabalho do autor, através de algumas pesquisas, descobri muitas coisas interessantes que achei justo compartilhar.
John Williams faleceu no dia 3 de março de 1994 no Arkansas, EUA. Seu romance Stoner, publicado em 1965, ganhador do National Book Awards de '72 foi infelizmente, esquecido por muitos e redescoberto 50 anos depois pela Radio Londres. Hoje, se popularizou pelo mundo sendo reescrito e analisado por grandes nomes da literatura. 
A escrita de John impressionou à muitos, sendo ele minucioso em seus detalhes e ao mesmo tempo dramático, como em romances épicos. 
Após ler essa obra - incrível por sinal, obrigado Rádio Londres pela oportunidade - trouxe a resenha para vocês. Espero que gostem tanto quanto eu!
// FICHA DO LIVRO
Título: Stoner | Autor: John Williams | Páginas: 314 | Capítulos: 17 | Gênero: Romance.
| Livro cedido em parceria com a Editora Rádio Londres |
// SINOPSE
"Stoner é a história da vida de um homem entre as décadas de 1910 e 1950: William Stoner, filho único de camponeses humildes, quase por acaso descobre sua paixão pelos estudos literários e se torna professor universitário. Em uma prosa linear e límpida, narram-se o progressivo afastamento de Stoner da própria família, as relações complicadas com os colegas, as amizades tragicamente marcadas pela guerra, a difícil vida conjugal, o impossível amor clandestino por uma professora mais jovem e o encontro com a morte. Stoner reage  às provocações da vida com aparente impassibilidade e silencioso estoicismo, emergindo como um inesquecível e trágico herói da vida cotidiana."
// RESENHA
A obra retrata a história de vida de Stoner, um jovem que cresceu na fazenda de seus pais no interior de Missouri. Após formar o ensino médio recebe a proposta de estudar Ciências Agrárias na universidade, apesar de sempre receber o apoio dos pais, Stoner sabia que eles o queriam na faculdade para que depois de formado retornasse a fazenda e seguisse o negócio da família. Mas eles nunca deram o espaço que ele realmente queria para fazer aquilo que gostava, algo que durante um tempo, chateou bastante o rapaz.
Concluindo o primeiro semestre, Stoner criou um apego muito grande pela matéria de literatura inglesa e resolveu conversar com seu orientador e professor Sloane, um homem temido por muitos, porém muito admirado por ele. Cogitando a possibilidade por alguns dias, ele toma iniciativa e muda de curso sem avisar seus pais, que só descobrem em sua formatura.
O livro narra diversos acontecimentos da vida de Stoner, seu casamento, paixões e discussões na relação, perda de amigos, até o dia de sua morte. 
A obra trata-se de um relato completamente comum, porém escrito de uma maneira atenciosa e cuidadosa, dando foco a insatisfação e erros de uma vida simples, sendo resumido em um homem que após se formar na universidade torna-se professor da mesma e por lá permanece até mesmo depois de se casar. Sempre recebendo orientação de amigos ou de sua esposa, Stoner cria uma grande insatisfação pela rotina que leva, algo que nem ele próprio sabia explicar. 
A vida era realmente surpreendente para Stoner, cheia de altos e baixos, ele enfrenta diversos momentos difíceis e quase impossíveis se superar. 
// DIAGRAMAÇÃO, COMENTÁRIOS E OPINIÃO
É uma edição capa dura, impressa em papel pólen soft (aquele amarelinho) que não cansa os olhos e deixa a leitura mais agradável. Dividido em 17 capítulos, o livro possui uma ótima diagramação, respeitando os limites da página e não deixando o texto apertado.
Publicado no ano de 2015 e com a dedicatória exclusiva aos amigos de faculdade de John. Posfácio escrito por Petter Cameron.
Posfácio | Breve explicação sobre o livro, motivo pelo qual foi escrito ou opinião.
A narração do livro é muito boa, trazendo um vasto conhecimento de novas palavras e expressões da época, por se tratar de um romance da literatura possui algumas ligações com diversos fatos da história, dentre eles o alistamentos para ser um voluntário da segunda guerra mundial. A leitura torna-se um pouco cansativa por ser um livro extenso, mas mesmo assim é muito prazerosa.
// SOBRE O AUTOR
John Edward Williams (1922 - 1994) nasceu em Clarcksville, no Texas. Serviu na aviação militar americana durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1954, recebeu o título de doutor em Literatura Inglesa na Universidade do Missouri. Trabalhou como professor assistente dessa disciplina na Universidade de Denver até sua aposentadoria, em 1985.
.
Acho que podemos concluir por aqui e mais uma vez, muito obrigado à Radio Londres pela parceria e por me presentar com essa leitura que eu super indico! 
Um abraço, até logo!  
Facebook  Instagram  Tumblr   Flickr  You Tube  Fã Page do Blog  Instagram do Blog