segunda-feira, 19 de junho de 2017

3 Maneiras de sair da sua Zona de Conforto na Fotografia

Com certeza vocês já devem ter reparado, mas eu amo cores, principalmente tons que me lembrem o outono. Por esse mesmo motivo, minhas fotos preferidas sempre são feitas durante a estação.
Quando eu comecei a fotografar, tive uma  grande dificuldade para aceitar que minhas fotos eram boas. Simplesmente não via beleza nelas. Ao decorrer dos anos eu descobri que isso só acontecia porque eu me confundia em relação aos tons de cor da foto. Como assim Lukas? Sabe quando você quer colocar muita informação em uma fotografia e depois na hora de editar nenhum filtro fica bom, pois cada filtro age de uma maneira em cima de cada cor presente na sua foto e raramente você encontra uma que deixe todas harmoniosas? Então, eu demorei muito para notar isso e aprender a corrigir. Além disso, mantive o costume de fotografar apenas na minha casa, tanto que muitos leitores que acompanham o blog a um certo tempo, vão se lembrar que no começo do blog a maioria das fotos eram feitas no meu quarto.
Créditos ao artigo original escrito pela Vanessa do blog, Safelight-room. Texto adaptado para se encaixar nos padrões do blog.
Então, recebi um artigo de um amigo sobre a importância de sair da sua zona de conforto na fotografia e como isso pode te ajudar a aperfeiçoar seu trabalho.
Zona de Conforto nada mais é que do que um estado de espírito, onde nos acostumamos com algo de uma forma que aquilo acabou se tornando rotina, ou normal. Algo que praticamos diariamente sem nem perceber. 
Então, resolvi me desafiar algumas vezes, combinar tons e experimentar novos ângulos que favorecessem os tons da minha fotografia, para definitivamente sair da minha zona de conforto. Acredito que nós aprendemos e evoluímos conforme nos desafiamos a fazer ou experimentar algo novo. Por tais motivos, escolhi 3 itens que podem parecer bobos, mas que vão te ajudar a fazer o mesmo que eu, se desafiar para descobrir onde você está errando e consequentemente melhorar seu trabalho! 
1. Participe de um desafio fotográfico.
Em meio a era digital que vivemos, o mais existem são desafios fotográficos esperando você! haha Sério, isso não é brincadeira. Caso você esteja perdido vou te recomendar um. O Desafio Primeira é meu favorito, ele foi criado pela Luh Testoni do blog luhtestoni.com e consiste em seguir uma lista preparada por ela, onde você terá um tema para fotografar cada dia do mês. Esse desafio ajuda na parte criativa e principalmente vencer as barreiras da procrastinação.
Modelo: Débora Carvalho
2. Fotografe o que você acha que não gosta.
Juro, eu sempre tive muito problema em fotografar pessoas, a alguns anos eu achava que jamais seria capaz de fazer tal coisa, e hoje eu to como? Trabalhando com ensaios de alto retrato, acredita nisso?! Então, assim como tudo na vida a gente precisa arriscar, para conseguir abrir novas portas e encontrar novas oportunidades. 
Lembro-me até hoje da primeira pessoa que eu fotografei, foi uma amiga minha muito querida, que estava morrendo de vergonha e eu estava ainda mais nervoso, porém no meio daquilo tudo comecei a me divertir fazendo aquelas fotos e foi então que eu descobri, era apenas insegurança de nunca ter tentado antes.
Modelo: Débora Carvalho
3. Use a natureza e as condições climática a seu favor.
Tenho quase certeza que vocês assim como eu, também amam a luz natural então use isso a seu favor. Escolha seu tipo de foto e veja se ele vai ficar melhor ao nascer ou por do sol, durante ou dia ou durante anoite, na chuva ou em um lugar seco. Isso vai te ajudar demais, pode acreditar em mim.
Agora use tudo isso junto com, buscar novos ângulos, testar novos tipos de edição, procurar pessoas com personalidades diferentes das que você está acostumado e praticar o habito de fotografar diariamente, que você irá se dar muito bem na área. Confia que vai.
Assim como muitas coisas na vida, fotografia exige prática, tempo e esforço. Você vai erra sim, mas precisa trabalhar com a sua mentalidade e entender, os erros tem tanto a ensinar quanto os acertos.
Essas foram minhas três dicas Topíssimas para vocês hoje, espero que elas sejam úteis. Me contem aqui nos comentários o que acharam.
Um abraço, até logo!  

sábado, 10 de junho de 2017

Resenha: Vermelho | Um amor de sangue

Vocês com certeza já devem ter reparado, mas eu tenho um carinho muito grande por livros infanto-juvenis e fantasias. Por quê isso? Bom, na minha opinião são os dois gêneros mais criativos, que estimulam muito a criatividade e a personalidade do autor. E Antes de dar início a resenha, gostaria de fazer um comentário sobre algo que eu li recentemente e que gostei muito. 
Você já parou para analisar como alguns jovens usam a leitura para escapar de suas vidas "monótonas" e normais, quando os infanto-juvenis de antigamente retratavam justo o oposto? Em muitos casos mostravam que se uma situação estava complicada, ela podia sim piorar ou então, relacionamentos podem ser ótimos mas não superam o convívio com amigos e famílias. A alguns anos atrás, era comum ver a realidade retratada em diversas obras, de forma explícita e muito verdadeira. Por esse motivo eu gosto de Fantasias que retratam algo paralelo ao que vivemos, descontraindo e estimulando novas ideias. Enfim, apenas um pensamento.
A alguns meses atrás, recebi um exemplar de Vermelho, um amor de sangue escrito pelo autor Juck Olegário e publicado pela Editora Autografia. Após ler e repensar bastante sobre o gênero do livro e como fazemos coisas para quem nós realmente amamos, vim apresentar a resenha dele para vocês. 
Ficha do Livro:
Título: Vermelho, um amor de sangue | Autor: Juck Olegário | Capítulos: 28 | Gênero: Fantasia   |  Livro cedido em parceria com a Editora Autografia |
Sinopse:
Uma vilã nasce vilã ou se torna vilã? Isabele, uma garotinha que era feliz, até que tragédias a levaram a crescer amargurada e triste por dentro. De uma simples criada, tornou-se uma perigosa rainha vingativa, ávida pelo sofrimento de todos, já que não conseguiu seu final feliz para sempre. Amar ou se vingar? Ficar ou voltar? Qual é a escolha desse dragão feroz? Ainda há sentimentos em seu coração negro? Leia "Vermelho, um amor de sangue" e fique fascinado e apaixonado por essa rainha perversa.
Resenha
A história começa na infância de Isabelle, um menina dócil de família pobre, mas com muitos ensinamentos. O lugar onde eles moravam era governado por um rei que todos os anos, por meio de uma seleção, escolhia três pessoas para trabalhar no castelo, e naquele dia Isabele foi uma das felizardas. 
Após perder sua mãe e ver seu pai em uma crise financeira, ela não negou serviço, aceitou ser admitida pelo rei com o objetivo de ajudar sua família. Sempre muito confiante e segura de si, Isabelle foi conquistando a confiança de todos e se tornou melhor amiga de Anabela a querida protegida do rei. Apesar de todo o apoio que recebia da amiga, Isa sentia sim um certo ciúmes da princesa, que possuía tudo do bom o do melhor, luxo e servos a sua disposição sem precisar fazer nada. Afinal, essa era a hierarquia!
Desde pequena, Isabelle sempre foi apaixonada pelo príncipe Dominik, que ao contrário dos demais simples não tinha um grande encanto e muito menos algo que o deixasse especial, era apenas um garoto comum que gostava de brincar com o sentimentos de Isabelle. Sendo uma garota sonhadora, acreditava que um dia eles teriam seu final feliz, mas não é tão fácil assim.
Ela queria o príncipe só para si, queria casar com ele e receber seu amor. Mas infelizmente, Dominik era um nobre rapaz... Como posso dizer? Galinha? Sempre que sentia vontade, procurava a criada da protegida do rei para saciar seus desejos carnais e no final fazia tudo que uma mulher odeia até hoje.
Levava essa relação de forma natural, foi a ideia de que ela possuía o príncipe pelo menos algumas horas por dia a confortavam. Porém, ela precisou de um grande ajuda do amado, mas foi pega em uma emboscada por alguns "amigos" de Dominik, que da pior forma o possível a violentaram. Tudo parecia perdido, insuperável.
Mas como sempre o destino nos mostra que estamos errados. Um senhor muito sábio a encontrou, ajudou e a ensinou os segredos da magia negra. 
Ela não iria descansar até se vingar, se vingar contra todos os cavaleiros. Ao retornar para o castelo alguns anos depois, Isa se torna a vilã, Rainha Vermelha de Carmesim
Ela precisava se mostrar uma mulher forte, capaz de cumprir seu plano e ter sua reviravolta. Mas ela não imaginava que toda essa ideia tinha uma falha, que ela conhecia um sentimento ainda mais profundo que a raiva, o amor.
Comentários e Diagramação/Divisão
Vou confessar que de início, por se tratar de um livro de fantasia, achei a história levemente exagerada. Mas ao decorrer dos fatos, descobri que o autor tinha sim a necessidade de escrever daquela forma e detalhar os fatos como está. Por ser um livro curto, a leitura é bem rápida e nada cansativa.
Quanto a diagramação eu gostei muito. Dividido em 28 capítulos, o livro é publicado com a tipografia tradicional e impresso em papel pólen soft de 80 mg (aquele mais amarelinho!) com limites espaçados e uma pequena ilustração abaixo do título de cada capítulo, que por sinal são bem curtinhos.
A capa e contracapa são foscas que facilitam muito na hora se segurar o livro, e para quem assim como eu odeia livro marcado, ela não deixa a sujeira e a marca das digitais tão visíveis!
Sobre o Autor
Juck Olegário nasceu dia 06 de janeiro, na Bahia. Teatro, livros e fantasia sempre fizeram parte da vida do autor, ele acredita que o ato de ler é uma forma fantástica de escapar desse mundo perverso e partir para um novo onde tudo pode acontecer. Ele então juntou essa paixão a um grande objetivo de sua vida: Escrever e publicar seu livro. Ele conseguiu!
Nota
♥ ♥ ♥ ♥ 
Por ser um livro que me surpreendeu e me deixou fascinado pela história, nada melhor do que dar cinco corações para a obra. Inclusive vou recomendar o livro para vocês, pois é muito bom!
Mas então, me contem aqui nos comentários o que acharam da resenha? Gostaram de conhecer mais da obra?
Um abraço, até logo!  

sábado, 27 de maio de 2017

Como foi meu mês de Maio

Eu sei que o mês ainda não chegou ao fim, mas eu estou muito animado para compartilhar com vocês um pouco de tudo que já rolou de especial por aqui.
Maio se mostrou um mês muito especial, com vários trabalhos, dias de diversão, comemorações especiais e muita correria em relação a escola, por esse motivo não tenho conseguido manter a frequência antiga de posts aqui do blog, mas assim que der eu volto okay? Não vou abandonar vocês não, Okay?
E antes de tudo eu queria muito agradecer a vocês por mais um conquista. Dia 21 nós completamos 200 seguidores aqui no blog! E isso me deixou muito feliz e de certa forma me deu uma motivação para continuar trabalhando com o blog, obrigado mesmo! 
Só para encerrar o mês da melhor forma possível, olha quanta coisa incrível chegou aqui em casa através dos correios. A felicidade ver essa foto já se tornou algo inevitável! Mas não vou entrar em detalhes, pois quero fazer um post exclusivamente sobre isso, para mostrar os detalhes separadamente. Apenas um spoiler!
Food Truck em Pedralva | Aniversário da Cidade
Dia 07 foi o aniversário de Pedralva e como forma de comemoração, vieram vários food trucks para a cidade, dez para ser bem específico. Para deixar o final de semana ainda mais especial, afinal foram três dias, aconteceram vários shows incríveis durante a noite. 
Essa foi a primeira vez que aconteceu o evento desse tipo na cidade, então para muitos foi algo totalmente inusitado. As Kombis vieram de vários lugares do Brasil, tendo assim uma grande variedade de sabores. Admito que quando me planejei pro evento, havia pensado em valores bem mais altos do que os que realmente eram, algo que me deixou ainda mais feliz. 
Não consegui experimentar tudo que tinha, mas foi quase! haha Os meus preferidos foram: Os Milk Shake's da Kombosa Shake e o Crepe do Krepe Sobre Rodas. Inclusive até falei deles lá na página. Definitivamente foi o melhor fim de semana do mês!
Câmeras Fotográficas Antigas | Brechó
Eu amo coisas antigas, ainda mais quando elas tem alguma relação com a fotografia. A alguns dias atrás, descobri que a vice diretora da minha escola, é dona de um brechó que fica no centro de Itajubá-MG. Conversando com ela sobre antiguidades, fui convidado junto com mais alguns amigos para conhecer e advinhem quem ficou super empolgado com o convite? É, eu mesmo! A primeira coisa que eu vi ao entrar foram as câmeras, uma mais linda com a outra. O bacana é que cada uma era de um ano, desde as mais antigas de 1950 ate alguns modelos mais "recentes" de 1980. Como não se apaixonar por esse modelo não é mesmo?
Stoner | Radio Londres
Já contei para vocês sobre a minha parceria com a editora Radio Londres, e essa semana chegou meu primeiro livro. Um exemplar de Stoner, escrito pelo autor John Williams e é uma edição capa dura que teve sua primeira versão publicada pela mesma editora no ano de 2015. Para ficar ainda mais especial, vieram junto 9 marca páginas, que eu gostei tanto que até postei uma fotinha lá na página para avisar vocês, pois eles são diferentes dos outros que eu tenho. Possuem um tamanho maior, mais largos e tem a Sinopse dos outros livros da editora no verso. Olha que fofo! 
Encontro das Novas Artes ENA | UNIFEI
Sábado passado, dia 20 eu fui em um evento super bacana na UNIFEI, chamado de ENA Encontro das Novas Artes, onde os próprios alunos e até mesmo alguns convidados esporam seus trabalhos, como desenhos e vídeos, pinturas para o público. Além disso também incluíram palestras, campeonatos de League of Legends, apresentações musicais e concursos dos melhores cosplays.
O Igor Abreu meu amigo, deu uma pequena palestra sobre digital art e como é feito um desenho digital usando uma mesa digitalizadora. Quem me acompanha no snap viu tudo em detalhes! 
Bom, esse mês foi muito especial por esses e vários outros motivos. Recentemente fechei uma parceria com a Gocase e estamos preparando um projeto fotográfico muito legal, que ainda é segredo mas que logo logo vocês vão ficar sabendo de tudo, com direito a detalhes e fotos exclusivas. Enfim, como foi o mês de vocês? Me contem aqui nos comentários.
Um abraço, até logo!  

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Primeiras Impressões | E-Book: Na Mesma Página

Apesar de não ser fã de livros digitais, esse em especial me chamou muita atenção.
Já faz um certo tempo que a Editora Sinna me enviou o e-book Na Mesma Página, escrito pela autora Katerine Grinaldi
Hoje vim apresentar, ao invés de uma resenha, minhas primeiras impressões sobre esse livro. Logo de cara eu gostei muito da simplicidade da obra, uma capa mais clean e uma tipografia ótima. Por ser um e-book é uma leitura mais rápida, que fica ainda melhor quando você descobre um certo fasíneo pela obra. 
Ficha do Livro:
Título: Na Mesma Página | Autora: Katerine Grinaldi | Capítulos: 29 | Gênero: Literatura Nacional, Jovem Adulto, Romance 
| Livro cedido com parceria com a Editora Sinna |
Sinopse
Giuliana é recém-formada em Letras, tem um noivo que sabe muito bem o que é sucesso na carreira, ama sua família -inclusive seu irmão bobo- e sonha em um dia se tornar professora, mas as vezes a vida não segue os planos e expectativas alheias. Sem sucesso na conquista do emprego na vaga almejada como professora, Giuliana ficará diante de algumas escolhas que poderão mudar sua vida drasticamente. Será que é mesmo necessário escolher entre sonhos? Sonhos, sucesso e amor não são palavras que caminham juntas? Talvez, alguém esteja disposto a ensina a Giuliana  que estas três palavras podem estar na mesma página.
Primeiras Impressões
De cara já percebi que é uma história envolvente e muito apaixonante. A partir do momento em que comecei a ler, ficava ainda mais curioso para descobrir o que ia acontecer. 
O livro conta a história de Giuliana, uma jovem de 22 anos formada em Letras que não tem tempos para sonhos e prazeres, pois está ocupada demais se preocupando com seu futuro e correndo atrás de um emprego. Um dos seus maiores problemas/incômodos é a pressão de seu noivo Rafael, um homem bem sucedido e tão ocupado que quase não tem tempo para Giuli, que insiste em ficar lembrando a noiva que ela precisa construir uma carreira de sucesso. E isso com certeza fez ele perder muitos pontos comigo, pois em várias partes do livro ele é egoísta e mesquinho, pedindo para Giuliana desistir do sonho de ser professora e arrumar um emprego rentável, na qual todos sabemos que ela não seria feliz.
No decorrer da história, o relacionamento de Giuliana e Rafael começa a se tornar algo cansativo. Mas por outro lado, conhecemos personagens incríveis e marcantes que mostram a Giuliana motivos para viver e razões pelas quais realmente vale a pena lutar. 
Comentários e Diagramação
É um livro bem dinâmico, com ótimas reflexões sobre desapego, crises de relacionamento, escolha de uma profissões e aventuras. Vou confessar que me identifiquei com vários trechos do livro, pois muitos deles se encaixam na adolescência, atual fase da minha vida.
A autora tem uma escrita incrivelmente boa, envolvente e detalhada na medida certa. O livro é dividido em 29 capítulos, sendo cada um acompanhado por uma frase icônica e algumas ilustrações. 
O tempo é um agente natural das mudanças, movendo tudo por onde passa, trazendo coisas boas ou ruins, anunciando um futuro baseado no passado.
Nota
♥ ♥ ♥ ♥ 
Apesar de não ter lido tudo, pois recebi apenas treze capítulos da editora, posso afirmar com toda a certeza que é um livro muito bom, ótimo em todos os sentidos e que merece ser lido. Por isso eu vou dar cinco corações! 
Agora me contem, gostaram do post e das primeiras impressões? Me conta aqui nos comentários e segue a editora nas outras redes sociais para ficar por dentro das novidades.
Um abraço, até logo!  

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Felicidade | 3 Coisas boas

Nos últimos dias, por falta de organização, fiquei off aqui do blog. Pois tive uma semana corrida e cheia de compromissos, então me desculpem por isso.
Sabe aqueles momentos de felicidade, que simplesmente acontecem no nosso dia-a-dia para melhorar uma situação/momento ruim? Pois é, eu amo isso e acredito que você também. E para minha felicidade, esses momentos aconteceram com uma certa frequência nos últimos dias, então decidi compartilhar eles com vocês. 
Aproveita, pega um café e algo bem gostoso para comer enquanto você lê.
O reconhecimento é fruto da sua dedicação!
Uma das melhores sensações de ser blogueiro, é ter se trabalho reconhecido. Por mais simples que alguma coisa pareça ser, pode ter certeza que para chegara até ali foi necessário muito esforço e dedicação. E recentemente eu recebi uma notícia -maravilhosamente- boa, um e-mail na verdade, que chegou até mim no dia trinta e um de março. A editora Radio Londres liberou o resultado da seleção dos parceiros oficiais dois mil e dezessete e, como muitos já estão sabendo, eu passei! haha
Aqui está o post com a lista oficial dos parceirosReceber aquela noticia foi algo tão bom, que eu precisava compartilhar e claro, agradecer pois vocês são os responsáveis para que eu pudesse chagar até aqui.
Fui selecionado juntamente com mais 42 candidatos para trabalhar com a editora e já concluí, que vai ser uma experiência incrível. Então, muito obrigado a todos os leitores que acompanham e incentivam o blog diariamente, isso é muito importante para mim! Podem ter certeza, não vou desapontar vocês. 
E para me deixar ainda mais feliz, a Splendour Presentes e Decoração de Itajubá, respostou pela segunda vez uma foto minha no instagram oficial deles. Veja aqui a foto!
Mr. Postman trouxe uma encomenda!
Para deixar a semana ainda melhor, recebi a ilustre visita do Mr. Postman, vulgo Carteiro haha com um pacote super especial enviado pela Ana Paula -leitora do blog e blogueira do Travesseiros de Paina- que eu achei incrível.
Ela me enviou uma carta, com um envelope azul e vários selos super fofos, junto com uma apostila do ENEM 2017 da Poliedro. Um material de estudo bem dinâmico, com conteúdo voltado para várias áreas que supostamente irão cair no exame nacional do ensino médio desse ano. Gostaria de agradecer a Ana Paula, com certeza será bem útil para mim, obrigado! 
Acredite, suas metas irão se cumprir!
Esse último tópico é na verdade um pensamento, que me gerou uma grande felicidade interior.
Em 2015, quando eu me formei no ensino fundamental, pedi para minha mãe para poder estudar em uma escola que ficava fora de pedralva, especificamente em Itajubá-MG. Mas naquela época era algo complicado, pois foi o auge da crise no país e as despesas estavam altas, então não foi possível. Conclui o primeiro ano do ensino médio aqui em Pedralva mesmo, mas na metade do ano comecei a procurar por provas de bolsas e oportunidades de estudo em outras cidade. E não é que deu certo?
Para muitos, mudar para uma escola em outra cidade no ensino médio é bobeira, algo fútil, mas eu não vejo dessa maneira. Com pouco menos de quatro meses na escola nova, senti uma diferença absurda em relação a tudo, conteúdo, atenção com os alunos, disciplina e entrega dos professores dentro e fora da sala de aula e isso de certa forma me deixou muito motivado, pois estou tendo a chance de ter um ensino de ótima qualidade que se eu tivesse aceitado ficar em pedralva, não teria nem metade disso.
E conversando com a minha amiga Laura, que também sempre quis estudar fora, sobre tudo isso ela me disse: É quem diria, a gente estudando em Itajubá, parece que vencemos!
Ouvir isso, foi uma dose de felicidade na certa, pois essa era uma das minhas metas para esse ano e sim, eu consegui e to muito feliz com isso!
Esses foram alguns momentos de felicidade que aconteceram comigo recentemente. Mas agora quero saber de você, me conte aqui nos comentários alguma coisa boa que aconteceu na sua vida recentemente e que te deixou muito feliz!
Um abraço, até logo!  

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Minha coleção de câmeras fotográficas!

Ganhei minha primeira câmera fotográfica com dez anos de idade e desde então eu mantenho o costume de fotografar, quase diariamente. Isso me ajuda muito em todos os sentidos, consigo expressar meu humor, capturar ideias e me distrair com o que eu mais amo, a fotografia. 
Eu sempre gostei muito de colecionar coisas, já que eu gosto tanto de fotografia decidi juntar o útil ao agradável, e comecei a colecionar câmeras fotográficas. Mas cá entre nós, não é a coisa mais fácil do mundo! Porém, estou na luta haha
E hoje, decidi mostrar para vocês as primeiras câmeras da minha coleção, na verdade pequena coleção porque são apenas cinco. Nem todas funcionam, mas eu tenho um carinho enorme por cada uma delas. Para vocês ficarem ainda mais familiarizados com cada uma dela, vou contar rapidamente como cada uma deles chegou até mim 
Kodak EasyShare C813
Essa foi a primeira, um presente muito especial que eu ganhei do meu irmão com dez anos de idade. 
Com toda a certeza ela é a mais especial de todas, afinal foi com ela que tudo começou. Na época, lá em 2011 ela me ajudou muito, comecei a fotografar tudo que via pela frente, amigos, família, paisagens, aonde quer que eu fosse ela estava junto comigo. Isso tudo fez minha paixão aumentar ainda mais. 
Apesar dela não funcionar mais, não consigo me desapegar de maneira alguma e com certeza, quero guardar comigo a vida toda.
Kodak Star 535
Um dos meus melhores achados. Durante um final de semana que estava passeando na casa da minha avó, encontrei no porão da cada dela, uma sacola cheia de filmes antigos pedindo para serem revelados, juntamente com essa câmera. Foi felicidade na certa!  Fiquei tão animado com a descoberta, que quando minha avó viu minha emoção em encontra aquela analógica (Sim, essa foi minha primeira câmera analógica!) ela não aguentou e me deu de presente. Nem preciso dizer o quanto eu amei né? 
Kodar Star 275
Essa também foi um achado, mas dessa vez em um antiquário de uma cidade que fica a menos de 50 km de Pedralva.
Eu e minha mãe estávamos visitando meu irmão, quando decidimos dar uma volta pelo centro da cidade. Passando por uma rua bem movimentada, vi um placa grande e dourada escrito: Antiquário! Foi então que resolvemos entrar, afinal sempre gostei muito de coisas antigas. De cara eu encontrei várias câmeras na mesa esperando para serem compradas, porém essa em especial me chamou atenção por dois motivos. 1/ O preço era bem acessível R$10,00. 2/ de acordo com a minha mãe ela é a "irmãzinha" da câmera que eu ganhei da minha avó. Foi definitivamente paixão a primeira vista! haha 
Fujifilm Finepix S4800
Essa câmera marca uma grande fase da minha vida. 
Eu criei o blog em 2014 e naquela época eu usava fotos da internet nos posts, isso me incomodava muito pois estava faltando algo a mais, uma característica minha. Então, comecei a economizar meu dinheiro para poder comprar uma câmera, pois eu estava determinado a começar a usar minhas próprias fotografias. Em 2015 eu finalmente consegui, com a ajuda da minha mãe comprei uma Fujifilm Finepix S4800 que de verdade, foi um dos momentos mais felizes da minha vida! 
Olympus StylusEpic Zoom 80 deluxe
Essa câmera me surpreendeu muito. Ganhei ela no meu aniversário desse ano, do namorado da minha tia. De início eu achei que era apenas uma câmera analógica que não funcionava, mas em seguida eu descobri que sim, ela funciona! 
Para me deixar ainda mais feliz, resolvi pesquisar sobre ela e vocês não vão acreditar no que eu descobri. Ela foi a primeira câmera analógica com Zoom de 80 px e a cor dourada metalizado, indica que é uma versão limitada com visor superior e lente de 80 mm. Vê se não é para ficar feliz?
Canon Rebel EOS T5
Só para fechar com chave de ouro. Minha grande realização, a tão sonhada câmera profissional. Juro que quando eu comprei, minha fixa só foi cair após uns dois dias. Eu costumo deixar ela em cima da escrivaninha do meu quarto e nos primeiro dias, eu dormia olhando para ela e sentia que ela também estava me encarando, é uma sensação tão boa que as vezes quando acordo de madrugada e vejo todas as câmeras alinhadas, fico pensando em como tudo isso é importante para mim. Cada história, cada foto já feita por cada uma das câmera, realmente é muito louco! Aquele tipo de felicidade que a gente não consegue explicar, apenas sentir!
Enfim, espero muito que vocês tenham gostado de conhecer minha coleção, amei fazer esse post.
Um abraço, até logo!  

segunda-feira, 10 de abril de 2017

O Fotografei que você não vê | Making Off

Já faz um certo tempo que eu tive essa ideia, porém ainda não tinha conseguido retirá-la do papel. Muitos de vocês já acompanham a página do blog lá no Facebook e sabem que eu sempre compartilho o Making Off de como algumas fotos aqui do blog e do instagram são feitas. Então, pensando nisso resolvi mostrar a parte técnica do blog, aquela que geralmente vocês não enxergam.
Você irá descobrir como o fotografei é feito , lugares, métodos, gambiarras e tudo mais. Admito que me enrolei um pouco com o post, pois não sabia exatamente o que contar, como mostrar e se vocês iriam gostar, mas depois de uma pequena votação lá no Facebook, descobri que a ideia é realmente boa. 
Para ficar mais fácil separei em tópicos, assim consigo explicar de forma mais detalhada cada item.
Vamos aos segredos!
1. Onde e como as fotos são feitas?
As fotos de resenhas, capa de textos, livros e publicidade são feitas na minha casa, pois eu ainda não tenho um estúdio, na maioria das vezes são feitas no móvel branco debaixo da janela do meu quarto ou na parede da cozinha, que são os lugares que tem a melhor iluminação da casa. 
Uma coisa que me ajuda muito é ter horários para fotografar, acreditem isso ajuda muito. Gosto de fotografar entre 13:30 e 15:00  durante a semana e 7:30 as 9:00 nos sábados, que são os horários com a melhor luz natural, minha favorita da vida.
Foto feita em cima do criado mudo, em comemoração as 50.000 views do blog 
2. Equipamento usado nas fotos.
Eu fotografo com uma Canon T5, usando a lente do kit 18-55 mm e as vezes a 50 mm 1.8. Um tripé de 1,5 m do site Tudo Para Foto, um moto G2 e algumas lente para celular dependendo da ocasião. A dição das fotos e feita parcialmente no VSCO CAM e no Lightroom, apenas coisas simples como ajustes de luz e sombra, saturação e tom de pele, deixando as fotos mais clean ou mais dark para combinar com o blog/feed.
3. Montando cenários e o processo de composição das fotos.
Essa é definitivamente minha parte preferida do blog . Ao contrário do que muitos imaginam, não eu não tenho um móvel de cada cor em casa -queria, mas não tenho- então, a maioria dos cenários são feitos e elaborados de formas improvisadas, porém criativas e planejadas. 
Gosto muito de um fundo branco, então uso meu criado mudo, mas quando preciso de algo mais colorido, opto por papeis como color set, sulfite ou papel cartão. Inclusive, além de ter vários em casa, tenho o hábito de sempre que vejo algum diferente na papelaria eu já compro, pois sei que em alguma hora ele será útil haha. Mas mesmo com tudo isso, também não abro mão da beleza natural das flores e árvores.
A composição das fotos é feita baseado em várias questões, incluindo estilo do post, tema e ideia. Na maioria das vezes é feita por padrão de cor ou semelhança entre os objetos que estão sendo fotografados. Eu gosto muito da ideia de se criar paletas de cores para foto, pois além de lindo e um trabalho super divertido de se fazer.
Além disso, tenho vários props -objetos portáteis usados em composição da fotografia-  em casa para ajudar, mas quando eu decido usar algo que eu não tenho, corro atrás um dia antes das fotos, para agilizar o processo e conseguir me organizar melhor.
Nessa foto foram usados alguns props, como a moldura, enfeites de natal e um moletom vermelho, sim, na maioria das vezes os tecidos/panos bonitinhos que vocês veem nas fotos, são peças de roupas minhas.
4. Preparo das postagens e ideias.
Já mencionei sobre meu cronograma de ideias aqui no blog algumas vezes, mas vou retornar a esse ponto outra vez, pois a ideia é realmente boa. Antes de ter a ideia para um post e começar a prepara-lo, gosto muito de navegar pela internet -Pinterest/We Heart It- para poder ter contato com algumas inspirações. Logo em seguida eu anoto tudo que me vier a mente e que for útil em um papel, para então começar a desenvolve-las. Todo esse processo gasta em média de 2 a 4 horas.
Em seguida o post é feito e depois revisado. Para então dar início ao processo de estética e design do post, onde ele é formatado  para ser agradável aos olhos de quem lê e organizado de forma esteticamente bonito para ser publicado e divulgado.
5. A equipe fotografei 
Na maior parte do tempo eu trabalho sozinho, mas sempre recebo ajudo de alguns amigos muito queridos. O Igor Abreu me ajuda na parte de edição das fotos e capas, incluindo banners e logos. A Maria Vitória, vulgo Mavi, me ajuda com a parte de fotografia, emprestando objetos e me ajudando a fotografar. A Renata Borges me ajudou várias vezes com correção de texto, algo que é muito importante. 
E claro, por último mas não menos importante, minha mãe  Que é minha fotógrafa, assistente, criado de ideias e incentivadora do blog.
@Okay_Lukas | @Iggabreu | @Mavifaria 
6. Estamos cheios de gambiarras.
Isso acabou se tornando uma característica minha e do blog. Já contei algumas vezes sobre pessoas que me conhecem como menino das gambiarras e sério, isso é super divertido.
Sempre que começamos a acompanhar uma pessoa desde o inicio, ouvimos histórias de como começar, dicas para iniciantes e tudo mais. Eles sempre contam que assim como todos, começaram de baixo, empilhando caixas e livros para usar de tripé, uma webcam de câmera e isso é real, eu já passei por isso. Mesmo agora, com um equipamento bem melhor do que eu tinha a quase três anos atrás, não abro mão das gambiarras. Elas podem ser simples, mas motivam e desenvolvem a criatividade, trabalham o pensamento de que seu equipamento não é a parte mais importante, isso é incrível.
Enfim, espero que tenham gostado de saber como o conteúdo do blog é feito. Não é nada de outro mundo, porém não vou mentir que não dá trabalho, pois realmente dá. Toda essa parte de fotografar e editar faz uma bagunça enorme, ainda mais quando é D.I.Y, mas eu amo muito tudo isso. Esse são os meu segredos haha, qualquer dúvida só deixar nos comentário.
Um abraço, até logo!